Nem precisa ser um mecânico ou um grande conhecedor de veículos para saber que quando o carro começar a não funcionar corretamente é sinal de que algo está errado. Um automóvel é compostos por diversos componentes e cada um tem uma função importante, inclusive o fluído de carro.

É comum que algumas pessoas não saibam exatamente o que são ou qual a função dos fluídos em um veículo. Muitas vezes, por falta de informação e conhecimentos esses componentes acabam sendo negligenciados e causando uma série de problemas muito maiores e que também acabam tendo um custo bastante elevado.

Por isso, é muito importante estar sempre atendo aos sinais que o veículo dá e também realizar manutenções frequentes.

Por que fazer manutenção no veículo?

A primeira vista, fazer manutenção periódica em um carro pode parecer um gasto a mais ou desnecessário. Mas fique sabendo que esse gasto acaba sendo um investimento e até mesmo uma economia a longo prazo. Isso mesmo! Por meio da manutenção é possível identificar antecipadamente qualquer possível irregularidade e resolver antes que se torne um problema. Além disso, um carro em perfeitas condições também garante economia de combustível, o que é ótimo!

Essa manutenção preventiva e periódica também é uma maneira de garantir uma maior segurança para o condutor e também os passageiros de um veículo. O mecânico ou a concessionária avaliam o carro e seus componentes e podem definir um cronograma para as próximas manutenções.

Coisas simples como a correia dentada, pneus carecas e o óleo, quando negligenciadas podem acabar trazendo riscos e consequências muito maiores, não só no bolso, como também na segurança. Essa economia com manutenção pode acabar sendo aquele famoso caso do barato que saiu caro. Se quiser saber um pouco mais sobre os cuidados para evitar prejuízos com a correia dentada, temos um conteúdo completo aqui no blog!

Por exemplo, um pneu careca pode causar um acidente e até render uma multa de R$195,25 com adição de 5 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação. Já o óleo pode trazer problemas para o motor e também para o freio.

Em média, a manutenção periódica deve ser feita a cada 10.000 km rodados ou pelo menos uma vez ao ano, mas dependendo do ano de fabricação, do modelo do carro e até mesmo da maneira como o motorista conduz o veículo, esse tempo pode variar para mais ou para menos. Durante a manutenção são feitas correções ou troca de itens que apresentem defeitos.

Veja quais são os principais itens que recebem atenção durante a manutenção preventiva:

  • Velas de ignição;
  • Filtro de ar;
  • Filtro de ar condicionado;
  • Filtro de combustível;
  • Correia dentada;
  • Filtro de óleo;
  • Óleos em geral;
  • Óleo de câmbio manual;
  • Fluído dos freios.

O que são os fluídos e qual a sua importância para os veículos?

Agora que você já sabe o quanto é importante fazer manutenções preventivas frequentes no seu veículo para evitar problemas e dores de cabeça maiores, vamos saber um pouco mais sobre os fluídos e porque eles são tão importantes para o bom funcionamento de um carro.

Basicamente, os fluídos são óleos que servem para limpar, lubrificar e até mesmo refrigerar os componentes de um veículo. Sem eles o carro começa a não funcionar da maneira correta e acaba perdendo a alta performance, deixando de oferecer segurança tanto para quem está dentro quanto para quem está fora do veículo.

Além da troca periódica, os fluídos também precisam ser de boa qualidade para garantir que todos os componentes tenham o funcionamento correto, como se tivessem acabado de sair da fábrica.

Os fluídos e lubrificantes servem ainda para evitar a corrosão e a oxidação das peças durante a troca de calor e também diminuir o atrito e o desgaste entre elas. São vários os componentes do veículo que precisam da reposição de fluídos, mas atenção, cada um necessita de um produto especifico.

Outro ponto de atenção é que além da reposição dos fluídos, os filtros de óleo também precisam ser trocados com frequência. A grande maioria dos veículos conta com determinações do fabricante que podem ser encontradas no manual de cada carro.

Conheça quais são os tipos de fluídos, para que servem e qual a frequência média para troca:

Fluído do câmbio

O fluído do câmbio serve para lubrificar e melhorar o desempenho do sistema deste componente do veículo. O câmbio é bastante usado durante a direção, mas por incrível que pareça é o fluído que tem maior durabilidade. Mas atenção com o tipo do seu veículo, já que os cuidados são diferentes.

Modelos de carro com câmbio automático podem fazer a troca entre 40.000 e 60.000 km rodados ou de acordo com o período definido por cada montadora. Já os modelos manuais tem um intervalo de troca maior ainda, geralmente só quando o óleo fica abaixo do nível indicado. Em caso de dúvidas, essa informação pode ser encontrada no manual do veículo.

Quando a troca do fluído não é feita o filtro pode ficar com sujeira acumulada, que pode não só obstruir a passagem do óleo como também contaminar.

Fluído da direção hidráulica

A direção de um carro deve ter um sistema eficiente e também muita leveza e é para isso que o fluído da direção hidráulica serve. O fluído garante que o peso do volante fique menor para que o motorista possa dirigir com maior facilidade. Cada montadora recomenda um período ideal de troca do fluído, mas geralmente isso ocorre quando o carro atinge entre 35.000 e 50.000 km rodados, levando cerca de 2 anos.

Quando o fluído está em nível menor que o indicado as chances de desgaste e vazamentos são muito maiores, esse prejuízo para trocar a caixa hidráulica ou a bomba pode custar no mínimo R$1.000,00.

Fluído do arrefecimento

Aditivos específicos misturados a água são o que compõem o fluído de arrefecimento. Além de fazer funcionar corretamente o sistema de arrefecimento o fluído também é o grande responsável por manter o motor resfriado e também para que ocorra economia de combustível. Ele lubrifica as peças, como sensor de temperatura, válvula, bomba d’água, radiador e termostato, e evita que a água do radiador entre em ebulição e congele. O fluído também inibe a corrosão já que tem propriedade antioxidantes.

Em média, a troca do fluído deve ser feita uma vez ao ano ou sempre que o veículo atingir a marca dos 10.000 km rodados e a verificação de 6 em 6 meses, mas essas informações vem especificadas no manual do carro. Quando a troca não é feita, o veículo começa a aquecer o motor, apresentar vazamentos. O sistema de arrefecimento acende uma luz no painel do carro mostrando que existe algum problema.

Se quiser saber um pouco mais sobre como cuidar do sistema de arrefecimento do seu veículo, temos um post bastante completo aqui no blog que vai sanar todas as suas dúvidas, leia!

Fluído do motor

O óleo do motor é considerado um dos fluídos mais importantes para o bom funcionamento de um veículo, já que ele tem a função de limpar, lubrificar e também resfriar todos os componentes do motor. Por conta da sua importância, o óleo do motor deve ser verificado sempre.

Geralmente a troca pode variar de acordo com o modelo ou a montadora, mas o mais indicado é que seja feito a cada 6 meses ou sempre que atingir os 10.000 km rodados. Além do óleo, também deve ser trocado o filtro. Mas atenção, muitos postos de gasolina oferecem o aquela famosa “completadinha” de óleo e o barato pode acabar saindo caro. O mais indicado é que o óleo seja trocado completamente para que não ocorra o risco de contaminação entre o velho e o novo. Quando isso acontece, o desempenho do motor fica comprometido.

Fluído do freio

Os freios também precisam de fluído para um melhor funcionamento. O óleo ajuda as rodas a receberem mais força do pedal, ele é o grande responsável por evitar a perda de desempenho do veículo e as falhas durante a frenagem. A troca deve ser feita porque o fluído sofre oxidação ao longo uso. A presença de ferrugem faz com que ele perca a suas característica e propriedades.

A troca deve ser feita anualmente, com o passar do tempo bolhas podem se formar no freio e isso acaba sendo prejudicial. Também é importante estar atento ao volume do fluído e caso seja notado que está abaixo do indicado, as chances de vazamento são grandes.

Fluído do limpador de para-brisa

Os para-brisas também precisam de um fluído específico para que funcionem perfeitamente. É o fluído que ajuda os para-brisa a manter os vidros limpos, eles garantem que a visão do motorista não seja comprometida. A troca pode ser feita sempre que for notado que o reservatório está ficando vazio.

Mas atenção, existe um fluído específico para essa função e jamais deve ser usado detergente para que a pintura do carro não fique comprometida.

E então, você sabia que os carros precisavam de tantos fluídos e que a troca deve ser frequente? Sabendo disso, você nunca mais vai deixar a manutenção periódica para depois ou achar que é um gasto desnecessário.

Aproveite também para ler o nosso conteúdo sobre barulho na caixa de direção e como identificá-lo. Até o próximo post!

Categorias: Segurança

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *