Spread the love

Giovanni Agnelli foi um personagem emblemático até o dia de sua morte. Conhecido como ‘l’avvocato’ (o advogado) por seus estudos de Direito, foram seus dotes comerciais e de gestão à frente do Grupo FIAT que passaram para a história. Mas o avô do atual Presidente do Grupo Stellantis, John Elkann, também protagonizou várias histórias relacionadas com automóveis de coleção.

O primeiro Ferrari Testarossa conversível oficial foi criado para Gianni Agnelli. Exceto essa unidade, todas as demais são simples transformações realizadas sobre unidades convencionais por preparadores. Esta célebre peça na cor prata tinha uma peculiaridade que muito poucas pessoas conhecem, sua transmissão era manual, mas tinha um modo automático, já que Agnelli tinha uma velha lesão na perna esquerda devido a um acidente de carro que o impedia de usar um automóvel manual com comodidade.

Naquela época, todos os Ferrari deviam ser manuais e de fato, com exceção dos Ferrari F400 e F412 Automatic, todos eram. Por isso, na criação do Ferrari Testarossa conversível especial de Gianni Agnelli, a casa de Maranello e a Pininfarina recorreram ao fabricante francês Valeo, que encontrou uma solução tão atrativa como inovadora, criar uma embreagem automática eletrônica.

O lançamento do Ferrari F40 foi uma bomba midiática. A marca de Maranello pretendia fabricar apenas alguns exemplares, mas a demanda foi tão brutal que decidiram aumentar a produção em várias ocasiões até ultrapassar as 1.300 unidades. Nem os especialistas nem a Ferrari estão de acordo com a cifra final de produção do modelo, alguns dizem que foram 1.311 e outros afirmam que 1.315, embora também existam vozes que apontam que foram muito mais os Ferrari F40 que saíram de Maranello.

O que é certo é que o responsável máximo do Grupo FIAT e proprietário majoritário da Ferrari quis um destes extraordinários esportivos vermelhos, cuja configuração lhe convertia em praticamente um modelo de circuito capacitado para ser emplacado.

Isso significava que o Ferrari F40 era um dos modelos com os comandos mais duros do mercado, ou seja, naquela época todos os Ferraris eram esportivos clássicos em cujo desenvolvimento não se tinha em conta o conforto de uso, mas sua eficácia. Por isso que os conduzir requeria pisar firme em comandos como a embreagem e engrenar com firmeza a clássica alavanca com botão esférico para guiá-la sobre a tradicional grade cromada.

Isso evidentemente era um problema para Gianni Agnelli, que além de sua mencionada lesão já tinha mais de 70 anos quando lhe entregaram seu exemplar do Ferrari F40. Este exemplar aparentemente conta com a configuração de série do modelo, a que equipa a imensa maioria dos F40 fabricados, mas Agnelli era um pouco mais que um cliente especial e por isso seu exemplar também é uma peça única.

À primeira vista podemos ver que a única diferença do Ferrari F40 de Gianni Agnelli é o estofamento preto dos bancos de competição, em lugar do habitual vermelho brilhante, mas este modelo conta com uma característica ainda mais chamativa. Durante sua fabricação, a Ferrari voltou a contatar o especialista Valeo para criar um novo sistema de transmissão automatizada, que incluía uma embreagem eletrônica que se ativava ao mover a alavanca de câmbios manual sobre a tradicional grade Ferrari.

De modo que o modelo parece ser um Ferrari F40 manual a mais, mas conta com a transmissão automática de acionamento manual (ou semiautomática) que mais tarde foi comercializada com o Ferrari Mondial t Valeo. Assim como a versão semiautomática do Mondial, este exemplar único do esportivo foi batizado de Ferrari F40 Valeo, devido à procedência de sua particular transmissão com embreagem automatizada e sem pedal.

Como era de se esperar, uma pessoa como Gianni Agnelli, que contava com uma imensa coleção de automóveis e serviço de chofer, não chegou a completar muitos quilômetros com seu exemplar especial do Ferrari F40, que quando foi vendido contava com menos de 700 km de uso. Esta unidade foi exposta ao público pela última vez quando foi leiloada em 2008 pela RM Sotheby’s no evento Leggenda e Passione celebrado no próprio circuito de Fiorano em 2018, momento em que foi vendido por 418.000 dólares, um preço notavelmente inferior ao valor atual de qualquer exemplar com poucos quilômetros do Ferrari F40. De modo que seu afortunado proprietário tem uma peça de grande valor em suas mãos.

Gostou da curiosidade de hoje? Ah, vale lembrar que você encontra os melhores produtos Valeo no Hipervarejo. Acesse a loja oficial clicando aqui.

Fonte: Planetcarsz.com.br

A Hiper Garagem, blog originado da Hipervarejo, é repleto de conteúdos ricos e cheios deinformações sobre carros, motocicletas e caminhões. Apaixonados por veículos, visamos todos os dias buscar informações seguras sobre automóveis. Aqui você tira todas as suas dúvidas, aprende tudo sobre manutenção e acompanha as novidades, tecnologias, dicas e performance dos automóveis e peças automotivas do momento. Acesse os nossos conteúdos semanais, receba as melhores informações do nicho e faça parte dessa comunidade especialista em automóveis e automotivos.

Equipe Hipervarejo

A Hiper Garagem, blog originado da Hipervarejo, é repleto de conteúdos ricos e cheios de informações sobre carros, motocicletas e caminhões. Apaixonados por veículos, visamos todos os dias buscar informações seguras sobre automóveis. Aqui você tira todas as suas dúvidas, aprende tudo sobre manutenção e acompanha as novidades, tecnologias, dicas e performance dos automóveis e peças automotivas do momento. Acesse os nossos conteúdos semanais, receba as melhores informações do nicho e faça parte dessa comunidade especialista em automóveis e automotivos.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *