Comparada com outras autopeças como o disco de freio e o amortecedor, ela é pouco conhecida e, muitas vezes esquecida por quem não entende de mecânica. Mas se você já teve prejuízos com ela, com certeza sabe de quem nós estamos falando. Sim, é dela mesmo, a Correia Dentada, vulgo vilã silenciosa.

A correia sincronizadora, mais conhecida como correia dentada, é responsável por sincronizar o movimento entre o eixo-comando das válvulas e o virabrequim.

Essa ação  mantém as válvulas de admissão e escapamento abrindo e fechando de maneira sincronizada.

Feita de borracha com cintas de aço por dentro, a correia dentada é mais comum em carros de fabricação nacional.

Correia. Via: Google Imagens
Correia. Via: Google Imagens

Mas, afinal, quando trocar a correia dentada?

Entender que é a hora de trocar a correia dentada não é algo fácil, pois essa autopeça geralmente fica escondida em uma capa plástica.  

Desta forma, não é possível observar o seu desgaste sem remover outras partes do motor.

A duração da correia dentada, em média, é de 40 mil quilômetros rodados, mas é recomendado que a revisão seja feita a cada 10 mil km.

Entretanto, se você não fez a revisão periódica e viu que já passou do tempo recomendado fique atento, pois a correia dentada não dá sinais de que está prestes a romper.

Isso ocorre porque ela vai se desgastando, mas não faz nenhum barulho para alertar o motorista.

No entanto, se a correia dentada rompe, os pistões se chocam com as válvulas, fazendo com que elas se desgastem e fiquem emperradas.

Correia dentada. Via: Google Imagens
Correia dentada. Via: Google Imagens

Além da falta de manutenção, outro fator que pode causar o rompimento da correia dentada acontece quando o automóvel está em alta velocidade ou fazendo fortes arrancadas.

Isso acontece porque a correia está em rotação acelerada e pode gerar um impacto grande que acarreta na quebra dos pistões.

Caso uma das opções acima aconteça, prepare o bolso! Quando a correia dentada se rompe o motorista tem que reparar o cabeçote.

Isso pode parecer algo simples, mas em um motor 1.0 custa em torno de R$ 1.300,00 dependendo da região do país.

Mas, se no seu caso os pistões quebraram o prejuízo é ainda maior, pois será necessário uma reparação de todo o motor, o que pode custar cerca de R$ 4 mil.

Saiba como evitar o rompimento da correia dentada

Se você não costuma “cantar pneu”, reduzir a marcha violentamente ou faz manutenções periódicas fique tranquilo, a vida útil da correia dentada do seu carro está segura.

No entanto, se você faz tudo o que dissemos e não faz revisão, passe a mudar os seus hábitos na hora de dirigir para prolongar a vida útil da correia.

Mas a melhor maneira de evitar o rompimento dela é fazendo a substituição dentro dos prazos estabelecidos no manual do seu carro.

Existe apenas a correia dentada?

Além da correia dentada existe a corrente que também é responsável por sincronizar o movimento da parte inferior do motor.

A corrente é diferente da correia, ela pode ser comparada às correntes de bicicletas justamente por ser feita de metal e ser lubrificada.

Ela é mais resistente e não precisa ser substituída.

Corrente.
Corrente. via: Google Imagens

Correia Dentada X Corrente

As montadoras dividem opiniões de qual seja melhor, mas apesar de parecer o ideal, a corrente não é uma ótima opção, pois o custo desse sistema é mais alto.

Já a correia acaba sendo mais barata se for substituída antes de romper.

Por isso, não esqueça de ficar de olho na quilometragem do seu carro, assim o prejuízo passará longe de você!

E aí, ficou alguma dúvida ou já teve a corrente dentada do seu carro rompida?

Se as respostas forem sim, deixe o seu comentário aqui embaixo e compartilhe esse post!

Ah! E não esquece de dar uma olhadinha no nosso penúltimo post sobre Cilindradas. 


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *