O engate de reboque é um acessório muito procurado hoje em dia, mas será que as pessoas sabem realmente qual a função, e se existem normas para o uso?

Aqui no Blog Hipervarejo já falamos em um post um pouquinho sobre engate.

Entre nele clicando aqui!

Mas como pedido, resolvemos aprofundar mais em normas e cuidados que devemos levar em consideração na hora de instalar um engate.

Engate Automotivo. Via: Google Imagens
Engate Automotivo. Via: Google Imagens

Cuidados e normas para o uso do engate de reboque

Para utilizar o engate é preciso estar de acordo com diversas recomendações de segurança, caso contrário pode render penalizações ao motorista.

Separamos algumas normas importantes para não serem multado.

  • De acordo com a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), só pode ter engate os automóveis com até 3.500 kg, além disso é preciso que a capacidade de reboque tenha sido declarada pelo fabricante ou pelo importador.

  • Os engates devem ser fabricados com uma plaqueta inviolável contendo as seguintes informações: nome empresarial do fabricante com o respectivo CNPJ e identificação do registro concedido pelo Inmetro; o modelo e capacidade máxima de tração do veículo ao qual se destina; a referência a Resolução 197 do Contran.

  • A tomada e instalação elétrica para a conexão do veículo rebocado deve estar operante. É preciso um dispositivo para fixação da corrente de segurança do reboque, dispositivos de iluminação (luzes de freio ou neon) devidamente regulamentados, ausência de superfícies cortantes e cantos vivos na haste de fixação da esfera.

Valor da multa caso infrinja alguma das normas acima

A multa é de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira de habilitação.

Engate de Reboque. Via: Google imagens
Engate de Reboque. Via: Google imagens

Abre o olho

Muitas pessoas instalam o equipamento porque acham bonito e acredita proteger contra colisão, mas muito cuidado com esse pensamento, pois em caso de batida com velocidade o engate pode comprometer e muito a suspensão do veículo, sem contar que aumentam também os danos em ambos os carros envolvidos na batida.  

Colisão traseira. Via: Google imagens
Colisão traseira. Via: Google imagens

Mais dúvidas

E se ainda aparecerem dúvidas, dá uma olhadinha lá no site da Denatran denatran.gov.br


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *