“Posso ter reboque no meu carro? Ele pode ser personalizado? Ele protege em caso de colisão?”

enagte reboque

Todas essas dúvidas passam na cabeça dos motoristas e muitos nem sabem porque. O Engate de Reboque virou febre nos veículos nacionais nos últimos tempos, muito devido a crença que ele evita danos em caso de batidas, mas será que é isso mesmo? Vamos tirar essas dúvidas agora:

 

O jeitinho brasileiro

 

O brasileiro é famoso por arrumar um jeito “fácil” pra tudo. A fim de evitar danos na lataria por batidas na traseira, muitos motoristas optam por instalar o engate, pensando “se alguém bater, bate no reboque”.

 

Mas o fato é que isso pode literalmente se tornar um tiro pela culatra. Por mais que ele evite uma encostadinha durante uma baliza, se o outro veículo ou objeto for mais alto, ele irá bater do mesmo jeito.

 

Além disso, no caso de uma colisão em velocidade, o engate pode comprometer e muito a suspensão do veículo, sem contar que aumentam também os danos em ambos os carros envolvidos na batida. Antes que você diga “quem bateu atrás que paga”, pense que isso pode resultar em mais tempo no veículo parado para conserto.

 

Qual a função do engate

 

Como tudo que é bom na vida, a função da peça está descrita no próprio nome. Ela serve para engatar reboques, carretinhas e outros complementos que visam aumentar a capacidade de carga do veículo e transportar até mesmo barcos e jet-skis.

 

Se a sua função fosse absorver impactos, também conhecidos como choques, provavelmente ele se chamaria “para-choque” 😉

 

Legislação e cuidados

 

Não é contra a lei ter um reboque no carro, mas ele precisa estar de acordo com uma série de recomendações de segurança, caso contrário irá render penalizações ao motorista.

 

Em primeiro lugar, o modelo tem de apresentar o selo de aprovação do INMETRO, apresentando inclusive a plaqueta com identificação do produto e fabricante, isso garante que o seu produto é certificado, testado e preparado para atender as suas necessidades.

 

De acordo com a lei, o engate de reboque precisa ser em formato de bola, maciço e a base deve ter os cantos arredondados. Nada de colocar modelos decorativos ou com quinas que possam cortar, você pode ser penalizado por acidentes com pedestres, se o produto estiver em desacordo.

 

Também é necessário que o engate possua uma tomada de energia funcional, que será conectada a uma carretinha para fornecer comandos como luz de seta, freio, ré e luz de placa. Vale lembrar que, quaisquer que seja o reboque, ele não pode cobrir a placa do carro e deve apresentar registro próprio.

 

Por último, é importante que você respeite a capacidade de carga do próprio veículo. O manual do proprietário costuma apontar o máximo de peso indicado para rodar sem prejudicar sua mecânica, muitos até incluem dados específicos para o uso de carretinhas e reboques, então vale a pena conferir.

 

Vale a pena conferir também as novidades da HiperVarejo no segmento de reboques, com produtos certificados e com qualidade comprovada para você, clique aqui!

 

Não se esqueça de fazer a instalação em uma oficina especializada.


1 comentário

Jefferson cruz · 19 de maio de 2018 às 12:20

Muitos motoristas ainda tem dúvidas sobre o engate do reboque. Parabéns pela postagem, esclareceu algumas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *